quarta-feira, 15 de junho de 2011

Eu, você, nosso chá e dois biscoitos


Escrevo para desprender em cada palavra você, extinguir sua existência em mim. Julgo e conjugo letras na liturgia da escrita. Ritual religioso na celebração da ausência. Perco o nosso passado na incorporação da palavra “adeus”. Pretexto para o texto que falo a você. Consolo-me na tormenta noturna do pensamento que luta ao ignorar você. Expresso nosso desatar na linguagem dramática das cartas, epistolas sem pista da nossa história.

Alan Félix

O título do texto é homenagem ao blog de Dinha Greyce