sábado, 29 de janeiro de 2011

Libidinagem


No toque libertino de seus dedos,

meu clitóris te convida,

a mexer nele como numa poesia.


Se a mão não te basta

para escrever você em mim,

utiliza sua língua mexe nele como numa rima.


Penetra sua boca em minha boca ferina,

me lambe como a uma vadia,

trás o gozo como a inspiração da noite tardia.


E quando ouvi meu gemido nos seus lábios,

e senti meu corpo pasmo,

é que já descobriste meu pecado.


(Alan Félix)