segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Sobre Equilíbrio


Depus num fio de suspiro
tudo o que me equilibrava.

E dei-me a andar em fios
leve de insegurança.

Tal como corda de piano,
partiu.

Tudo que me condensava voou
no emaranhado de fios cacheados do vento.

Disperso em parte que nunca tive,
nunca mais equilibrei,

nos nós de suspiros que me
estabilizavam dentro de mim.

(Alan Félix)