terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Canto da Saudade


É saudade da carne
em ocupar os vãos vazios
da casa-corpo.

Guarda-te
os panos branco da saudade
que forram os móveis da sua pele.

Deixa a abstinência
do quarto para mais tarde.

Permita meu sexo
deitar na cama da sua vagina.

(Alan Félix)