quinta-feira, 5 de novembro de 2009

O peso

Quero sentir o peso do punhal no coração
rasgar toda dor colossal.

Deixar cursar como rio no corpo
todas correntezas do sofrimento.

E talvez, quando o pranto manchar
qualquer expressão na face.

E o espelho olhar como estranho,
o intruso que o repara silencioso.

Talvez, as margens agitada do coração
se acalme com o tempo.

(Alan Félix)