quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Perpétua


Perpetua na palavra
sua existência,
a morte é a certeza
do esquecimento.

No cortejo fúnebre
da sua vida,
o que lhe resta é a escrita
numa lápide.

A palavra
é o sinônimo da sua vida,
que caracteriza o imaginável ser.

Jaz a palavra de
um homem,
e o mistério que cerca-o finda.

(Alan Félix)