quinta-feira, 6 de maio de 2010

Oceano Branco


O mar branco apareceu

inundando o céu

meu pesadelo cresceu

sonho se distorceu

mostrei o monstro

que habita no meu eu.


As gotas de chuva pararam

o vento soprou melodicamente

o florescer das plantas decompostas

vejo-me, vejo-me

desfazendo-me,

virando a ultima lágrima

que é pela mãe Gaia.


(Alan Félix)