sábado, 3 de abril de 2010

Águas de Março

Estranha essas águas que rolam
dos poços de seus olhos.
O mundo do qual brotam
essas águas é, escuro e turvo.

Têm suas margens
sempre languescidas,
as nuvens dos teus cílios
são negras e ofuscantes.

Essas águas carregam tristezas,
é uma correnteza de alívio
que lapida nas grutas dos poros,
pequenas ilhas de sossego.

As águas que fecundam
a pele quente e ardente,
tem nas suas nascentes,
verdades e segredos

que aprisionam nos cristais escuros dos olhos.

Quando transbordar
em lágrimas o mar
que carrego nos olhos,
é que a vida já me trouxe
muitos naufrágios.





(Alan Félix)