segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Suavidade


Meu perfume desprende
o pensamento exalado
do teu lábio.

Meus olhos choram
o desejo suado
que escorre do teu ventre incendiário.

Minha mão calejada
imprime a sensação
do teu corpo acanhado.

Meu lábio captura
a luxúria dos lábios
da tua vagina embriagada.

(Alan Felix)