quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Cartas sem destino

(Garance Doré)

Querida Elnora,

Hoje acordei apaixonado pela vida, flores voaram do meu corpo embelezando o jardim flutuante da manhã.
Nesses dias de ausência, o silêncio acariciou meus pés frios.
Fez-se saudade a falta de você, lembre-se que você era a primeira paisagem que meus olhos recém despertados engoliam de manhã.
E ultimamente tais olhos andam famintos.
Desejosos de lançarem-se sobre as montanhas das suas costas, deslizando como pedra no contorno do teu corpo até virar poeira escondida nos poros de sua pele.
E quando o vento soprar as planícies bronzeada da tua pele, possa lançar-me aos ares para te ver do alto.
Acredite que a visão sobre teu corpo do altíssimo, é como ver flores de girassóis nascendo asas e voando para iluminar o dia.
Minha querida, as flores de girassóis aliviaram a sua ausência, e também afugentou a saudade daninha que germinava dos meus pés frios.
O silêncio ainda acaricia meu corpo, toda manhã esquenta meus dedos e pães. Mas, ando me erguendo a cada dia, não se preocupe, enquanto flores brotarem do jardim no meu peito, eu estarei apaixonado e vivo.

(Alan Félix)