sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Canto I


p/ Maria Luisa Ribeiro

Poeta é pássaro
solitário.

É voo flamejante
no olho do sol.

É canto da morte
na asa do corvo.

Poeta é a fome da fartura.

É o grão que alimenta o papel
e carboniza o choro.

Poeta é o verbo de deus
no vocal pagão.

Poeta é poesia que sacia o cio
do coração.

Alan Felix