quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Fragmentos Íntimos

I
embriaga-se no espumante
fresco da minha boca.

roça teus lábios doce,
na clareira da minha boca.

descansa teu corpo amolecido
na cama do meu prazer.

encrava tua rosa úmida,
na haste do meu corpo.

orvalha tuas pétalas,
com o chuvisco do meu gozo.

II
trêmula as sementes
dos teus seios

na viagem lenta
dos meus dedos,

sobre os mirantes do teus peitos.

os lábios vogam o pescoço,
vibrando o teu corpo,

arraste-se por tua nuca,
deslizando por tua coluna.

(Alan Félix)