terça-feira, 24 de abril de 2012

ÍM PAR




silencia
a ânsia do corpo nu
precipita
a voracidade com os olhos
– devora em silêncio.

em prece fecunda os pátios do prazer.

sorrateiro
espuma sobre o corpo
borbulha
delirante nos mares do rochedo
– mergulha em silêncio.

alastrar-se
na fissura oculta dos beijos
ceifa
os ímpetos de desejo
– coloniza em silêncio.
 


Alan Félix