sábado, 7 de janeiro de 2012

Diagnóstico


A distância entre mim e mim é evidente. Busco refugio no silêncio do pensamento. As correntezas do dia-a-dia são mais constantes que a calmaria da tempestade que se agrava em mim.
A alma não passeia a tempo, encarcerada numa canção do lado b de minha vida. Toda sombra da felicidade e do gesto de viver é um déjà vu do passado já tão distante.
Receio as possibilidades que a vida apresenta, pois o congelamento da cena naquele instante que durará a eternidade de um sonho masoquista, incrusta todos os maus sonhos.

Alan Félix