quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Além-mar


Teu corpo-mar
nunca dantes navegável.

Nas tuas costas as caravelas dos meus dedos.

Nas águas salgadas
dos teus beijos

afogo a tentação dos meus segredos

e no vulcão ardente
dos teus seios

o cabo da boa esperança: teu brinquedo.

(Alan Félix)