sexta-feira, 24 de julho de 2009

Vôo das Fadas

No vôo alado,
as fadas saltam das correntes
de ar boreal.

O primeiro gesto de liberdade,
de voar entre as linhas tortas
do vento taciturno.

Perdem-se entre as ventanias,
libertas do bocejos dos deuses
nos seus castelo aéreo.

Dormem na brisa noturna
descansando na poeira estrelar
das imaginações etéreas.
(Alan Félix)